Bolo de Puba com Leite de Coco

Outra delícia nordestina e presente em toda festa junina é o bolo de puba. Feito com uma goma extrída da mandioca, abundante nos mercados do Nordeste, este bolo pesado e aparentemente “solado” traz um sabor inigualável.
Esta receita é bem prática. 

Bolo de Puba com Leite de Coco
Ingredientes
01 litro de puba
03 ovos
01 litro de leite de vaca
200 ml de leite de coco
02 xícaras de açúcar
01 colher (sopa) de manteiga
01 pitada de sal  
  
Modo de Fazer
 

Bata tudo no liquidificador.
Coloque a massa em forma untada e leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 35 minutos, ou até que ele fique douradinho.

Bolo de Leite

 
Uma das grandes delícias juninas é o Bolo de Leite. Rápido e prático que até uma criança faz (com supervisão de um adulto, é claro).
Experimente essa delícia. 


Bolo de Leite
Ingredientes 
01 litro de leite de gado
04 xícaras de farinha de trigo
03 xícaras de açúcar
03 ovos
02 colheres (sopa) de manteiga derretida
01 colher de sopa de baunilha
Pitada de sal
Modo de preparo 
Bata todos os ingredientes no liquidificador até ficar uniforme. 
Despeje o líquido em uma forma untada e enfarinhada e leve ao forno pré-aquecido por 30-35 minutos.
Sirva quente ou em temperatura ambiente.

Cuscuz (milho)

Se tem uma comida que o sergipano gosta é o cuscuz. É a nossa polenta! Aliás, me perdoem os amantes de polenta, mas o cuscuz é bem melhor!
Combina com quase tudo: Leite, ovos estrelados, lombo, linguiça, carne moída, frango e, até peixe. Há quem goste ainda de um cuscuz doce – Com leite condensado.
Vamos passar hoje a receita básica. Para isso você vai precisar de um cuscuzeiro, já que ele é cozido no vapor.


Cuscuz 
03 xícaras de fubá de milho grosso
02 xícaras de água
01 colher de sopa (rasa) de sal
Modo de Fazer
Adicione o sal à agua e mexa. Misture à farinha de milho com ajuda das mãos. Ele não deve ficar muito molhado. Deixe descansar por, aproximadamente 15 minutos.
Unte com margarina a parte do cuscuzeiro que não fica submersa. Adicione cuidadosamente a massa (ela fica soltinha). Não aperte com colher. Quanto mais soltinho, melhor.
Cozinhe em fogo alto por, aproximadamente 15 minutos. Use um garfo para ver se já está cozido.
Sirva com um pouquinho de manteiga e leite morno.
Saboreie sem moderação.

Canjica/cural de milho

As festas juninas, são na sua essência multiculturais, embora o formato com que hoje as conhecemos tenha tido origem nas festas dos santos populares em Portugal: Festa de Santo Antônio, Festa de São João e a Festa de São Pedro e São Paulo principalmente. A música e os instrumentos usados, cavaquinho, sanfona, triângulo ou ferrinhos, reco-reco, etc, estão na base da música popular e folclórica portuguesa e foram trazidos para o Brasil pelos povoadores e imigrantes do país irmão. As roupas ‘caipiras’ ou ‘saloias’ são uma clara referência ao povo campestre, que povoou principalmente o nordeste do Brasil e muitíssimas semelhanças se podem encontrar no modo de vestir ‘caipira’ tanto no Brasil como em Portugal. Do mesmo modo, as decorações com que se enfeitam os arraiais tiveram o seu início em Portugal com as novidades que na época dos descobrimentos os portugueses levavam da Ásia, enfeites de papel, balões de ar quente e pólvora por exemplo. Embora os balões tenham sido proibidos em muitos lugares do Brasil, eles são usados na cidade do Porto em Portugal com muita abundância e o céu se enche com milhares deles durante toda a noite.

No Brasil, recebeu o nome de junina (chamada inicialmente de joanina, de São João), porque acontece no mês de junho. Além de Portugal, a tradição veio de outros países europeus cristianizados dos quais são oriundas as comunidades de imigrantes, chegados a partir de meados do século XIX. Ainda antes, porém, a festa já tinha sido trazida para o Brasil pelos portugueses e logo foi incorporada aos costumes das populações indígenas e afro-brasileiras.

As grandes mudanças no conceito artístico contemporâneo, acarretam na “adequação e atualização” destas festas, onde rítimos e bandas não tradicionais aos tipicamente vivenciados são acrescentadas as grades e programações de festas regionais, incentivando o maior interesse de novos públicos. Essa tem sido a aposta de vários festejos para agradar a todos, não deixando de lado os costumes juninos, têm-se como exemplo as festas do interior da Bahia, como a de Santo Antônio de Jesus, que apesar da inclusão de novas programações não deixa de lado a cultura nordestina do forró, conhecido como “pé de serra” nos dias de comemoração junina.

A festa de São João brasileira é típica da Região Nordeste. Por ser uma região árida, o Nordeste agradece anualmente a São João, mas também a São Pedro, pelas chuvas caídas nas lavouras. Em razão da época propícia para a colheita do milho, as comidas feitas de milho integram a tradição, como a canjica e a pamonha.

O local onde ocorre a maioria dos festejos juninos é chamado de arraial, um largo espaço ao ar livre cercado ou não e onde barracas são erguidas unicamente para o evento, ou um galpão já existente com dependências já construídas e adaptadas para a festa. Geralmente o arraial é decorado com bandeirinhas de papel colorido, balões e palha de coqueiro ou bambu. Nos arraiais acontecem as quadrilhas, os forrós, leilões, bingos e os casamentos matutos. (Fonte: wikipedia)

Depois deste momento cultural, vamos à melhor parte da festa: as comidas típicas ensinadas no Blog!
A receita de hoje é da Canjica, costumeiramente conhecida no Sul e Sudeste do Brasil como Cural de milho. É bem simples e todo mundo adora!


Canjica/cural de milho verde
Ingredientes

  • 03 espigas de milho verde
  • 01 e 1/2 xícaras de açúcar
  • 01 litro de leite
  • 01 colher de sopa de manteiga
  • 250 ml de leite de coco (opcional)

Modo de Fazer

Corte os milhos com uma faca, separando os caroços do capuco (aquele caule branquinho onde os caroços ficam grudados).

Bata no liquidificador com metade do leite. Coe.

Em uma panela grande ou caldeirão, misture os demais ingredientes e leve ao fogo médio, mexendo sempre para não grudar no fundo, nem formar bolos.

Se ficar muito grosso, acrescente mais um pouco de leite.

Sirva em pratos ou em copos com canela em pó.

Rende, aproximadamente 01 ½ litro de canjica.

 

Rocambole de Macaxeira

 
Adoro tudo que tem macaxeira e, um dos meus pratos favoritos é esse rocambole. Simples e prático como tudo aqui nesse blog.
Essa receita também é da minha avó (Dona Castália). Espero que curtam bastante.
Confira as fotos e a receita dessa gostosura!

Rocambole de Macaxeira
Receita
Massa
  • 500g de Macaxeira
  • 02 xícaras de farinha de trigo
  • 01 copo de leite
  • 02 colheres de sopa de manteiga
  • 03 ovos
  • 01 colher de sopa de fermento
  • 01 pitada de sal
Recheio
  • 500g de peito de frango
  • 02 cebolas médias
  • 03 dentes de alho
  • 01 tomate
  • Alguns ramos de coentro
  • Óleo
  • Sal
  • Pimenta do reino a gosto
Modo de Fazer
 
  1. Descasque a macaxeira, corte-os em rodelas e leve ao fogo com água e sal até o ponto de purê. Esprema-os com um espremedor (melhor que garfo e liquidificador – nunca use este). Junte o restante dos ingredientes como se fosse fazer um bolo. Unte uma forma com margarina e polvilhe farinha de trigo. Atenção: Não coloque muita massa, já que ela deve estar um pouco fina para finalizar o rocambole. Leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 30min.
  2. Desenforme em um pano de prato. Com a massa ainda morna despeje o recheio e vá enrolando cuidadosamente com o auxílio do pano de prato.
  3. Você ainda pode fazer um molhinho simples de tomate e regar seu rocambole.
  4. Esse recheio é aquele básico de frango. Você pode rechear com carne moída; presunto e queijo; charque e queijo coalho, bacalhau, etc.

Rabada Sergipana

 
Faz uns três meses que estou com vontade de comer uma boa rabada. Este final de semana resolvi, pela primeira vez, preparar uma. Acredite: Ficou uma delícia!
Com o truque do limão e da hortelã, além de retirar o cheiro forte da comida, ainda reduz BASTANTE a gordura. A minha ficou super suculenta, o temperinho bem especial e a carne soltou facilmente do osso.
Para acompanhar essa iguaria, preparei um arroz branco bem simples e uma saladinha. Todos aprovaram.
Confira!

Rabada Sergipana
Ingredientes
  • 2 kg de rabada
  • 02 cebolas grandes
  • 02 tomates grandes
  • 03 batatas inglesas descascadas
  • 02 cenouras descascadas
  • 04 dentes de alho
  • 01 maço de coentro
  • 01 maço de cebolinha
  • 02 limões
  • Folhas de hortelã
  • Pimenta – do – reino a gosto
  • Cheiro verde
  • Óleo
  • Sal a gosto
Modo de Fazer
  1. Em uma panela de pressão, disponha a Rabada com água até cobrir toda a carne, os dois limões cortados ao meio e as folhas de hortelã. Leve ao fogo e deixe ferver por 10 minutos.
  2. Retire da pressão, escorra a água, e retire os limões e a hortelã. Repita a operação, só que desta vez, sem os limões e a hortelã. Depois da fervura escorra e reserve.
  3. Refogue na panela de pressão o óleo, as cebolas picadas, os tomates também picados, os alhos e os demais ingredientes. Acrescente a carne, um pouco de água fervente e deixe na pressão por aproximadamente 15 minutos. Se a carne ainda estiver dura, retorne à pressão. Acrescente as batatas descascadas e as cenouras. Não deixe que fiquem cozidas demais.
  4. Não deixe ficar mole demais. Caso esteja um pouco molinha, mas com bastante água, retire a pressão e deixe cozinhar em fogo baixo e com a tampa aberta até reduzir o volume de água. Está pronta!!

Tapioca recheada

Uma das comidas mais populares no nordeste é a tapioca. Aprendi com minha avó Castália fazer e gostar.

Não consigo descrever a delícia dessa especialidade nordestina. Simples, prática e com a possibilidade infinita de recheios, fica uma delícia acompanhada de uma xícara de chá de maçã com canela, chocolate quente, café com leite ou um cafezinho preto.

É uma ótima dica para um lanchinho de fim de tarde.

Aqui recheamos algumas de queijo coalho e manteiga e outras de queijo, manteiga, coco ralado e leite condensado.

Aproveite!

Tapioca recheada

Ingredientes

300g de massa própria para tapioca

200g de queijo ralado (coalho, prato, mozarela)

Manteiga

1 pitada de sal

Modo de Fazer

Em uma frigideira aquecida espalhe um concha de massa de mandioca peneirada e temperada com sal. Espere um minuto e vire o lado. Espalhe uma colher de sopa rasa de manteiga  e um punhado de queijo ralado. Dobre a tapioca e aqueça dos dois lados.

Lombo cozido recheado com linguiça

 
Um dos pratos favoritos de Sales é o Lombo bovino cozido. Apesar de simples, o sabor é inigualável. Servido com macaxeira, cuscuz, farinha de mandioca, massa de polenta, ou recheando um sanduiche é uma delícia.
 Geralmente, ao final do cozimento fica encrustado no fundo da panela um delicioso molhinho formado com as verduras cozidas e uns pedacinhos de carne que se desprendem da peça.  Esse molhinho é um espetáculo. 


Lombo cozido recheado com linguiça

1 ½ de Coxão duro ou lagarto
01 ou 02 linguiças defumadas
02 cebolas
02 tomates
06 cabeças de alho
01 pimentão verde
Coentro, cebolinha e salsa
Óleo
Sal
Pimenta do reino
Modo de Fazer
1. Pegue a peça inteira ou cortada em dois pedaços e, com uma faca longa e fina faça um corte em cruz no sentido do comprimento da carne a fim de que possa inserir a linguiça. Cuidado para não cortar demais.
2. Aqueça um pouco de óleo e sele a carne. Para isso você vai doura-la de todos os lados. Assim, evita que perca o sabor e reduza sensivelmente de tamanho. Você poderá fazer isso na própria panela de pressão.
3. Corte grosseiramente todos os outros temperos e junte-os à carne. Acrescente água, previamente fervida até cobrir toda a carne. Acerte o sal e acrescente a pimenta. Deixe cozinhar por aproximadamente duas horas. Desligue o fogo, mas mantenha a pressão.
O ideal é preparar essa carne na véspera para que possa incorporar melhor o sabor. No dia seguinte, sem usar a pressão, cozinhe até reduzir o volume de água.
Uma alternativa mais saudável é, ao invés da linguiça, rechear o lobo com cenoura.
Pode ser servida com macaxeira cozida ou frita, ou da maneira como desejar. Além disso, pode ser usada em outras receitas, inclusive como recheio.
No próximo post, um molho de macarrão usando esta carne.

Torta de macaxeira com recheio de frango desfiado

O prato de hoje é um dos meus favoritos.  Mesmo sendo suspeita (já que adoro “Torta de Macaxeira”), sou um tanto exigente quando esse é o assunto, então, a torta deve ser boa, mesmo.

Gosto da torta macia e suculenta. Com bastante recheio e a massa derretendo na boca. Para completar, um toque maravilhoso de queijo que casa perfeitamente com a suavidade da macaxeira.  Com recheio de charque, queijo e presunto, carne moída, frango, camarão ou bacalhau, não importa ela é sempre deliciosa.

Para o toque de maciez e suavidade tenho um “pulo do gato”: misturo a macaxeira com outro tubérculo. A batata inglesa e o inhame sempre casam perfeitamente.
Para a de hoje usei inhame e o recheio, frango. Todos aprovaram!

Confira as fotos e a receita dessa maravilha.

Torta de Macaxeira Divina
Receita
Massa
250g de Macaxeira
250g de Inhame
01 copo de leite
01 caixinha de creme de leite
01 colher cheia de manteiga
01 ovo
02 colheres de chá de fermento
01 pitada de sal
200g de queijo prato
Recheio
500g de peito de frango
02 cebolas médias
03 dentes de alho
01 tomate
Alguns ramos de coentro
Óleo
Sal
Pimenta do reino a gosto
Modo de Fazer
1.       Descasque o inhame e a macaxeira, corte-os em rodelas e leve ao fogo com água e sal. Cozinhe até o ponto de purê. Esprema-os com um espremedor (melhor que garfo e liquidificador – nunca use este). Reserve.
2.       Em uma panela, refogue em óleo as cebolas cortadas em cubinhos e os dentes de alho cortados em lâmina. No momento que estiverem transparentes acrescente os peitos de frango com a pele. Refogue. Acrescente o tomate em cubinhos e o coentro picado. Adicione 2 copos de água. Acerte o sal e acrescente a pimenta.  Quando o peito de frango estiver cozido desligue o fogo. Deixe esfriar e desfie o frango e descarte a pele. Ao caldo em que foi cozido, acrescente o frango, leve ao fogo até secar a água. Reserve.
3.       Pegue a macaxeira e o inhame (já espremidos) e, em uma panela acrescente o leite, a manteiga, o ovo, o sal e leve ao fogo baixo. Mexa bem. No momento em que esse purê estiver firme desligue o fogo e acrescente o creme de leite e o fermento em pó.
4.       Unte com manteiga um refratário médio. Despeje a metade do purê em seguida o recheio. Cubra com mais uma camada de purê e, por último as fatias de queijo prato.  Cubra o refratário com papel alumínio e leve ao forno (temperatura média) por aproximadamente 30 minutos. Retire o papel alumínio e leve novamente ao forno, por aproximadamente 05 minutos para gratinar.